quarta-feira, 22 de março de 2017

COMO UMA NOITE DE NATAL...


EU ESTAVA ASSISTINDO UM FILME DE NATAL, e pensando em como toda essa magia está longe de mim...
É como se  eu tivesse perdido o encanto do " Espírito de Natal "... Não sei onde eu o deixei...
Eu gostava, amava, passar o Natal em família, quando toda a família estava reunida para o amigo secreto, ou mesmo quando todo mundo aparecia, e trocávamos de casas, várias casas, durante toda a noite de Natal... E de repente, todo mundo cresceu, tomou seu rumo, tá todo mundo muito sério e passar o Natal em família não tem mais o brilho que teve um dia... Mas não só isso! Eu assisto aos filmes de Natal, e revejo planos, ansiedade pela grande noite, e em mim eu não sinto mais isso... É como uma noite dos sonhos, e não sonho mais! Minha vida e as exigências da vida me tornaram muito prática, e detesto admitir que sou adulta não só na idade, mas minha cabeça também, e talvez até mais velha que minha idade...
Toda aquela esperança de que na noite de Natal vai acontecer algo extraordinariamente bom se foi com tanta coisa pra esquentar a cabeça... Estou aqui tentando lembrar qual foi o último Natal mágico... Faz tempo, talvez o de 2007, dez anos atrás, e eu mal imaginava o que viria...
Eu tinha medo de crescer, e hoje entendo porque... A gente cresce, e perde a cor... As flores murcham, e todo o tempo é cinza, frio e chuvoso...
A gente mal se permite sorrir, porque sabemos que o chorar vem logo menos! Poderíamos, por isso mesmo, viver as alegrias muito mais intensamente, mas, onde ficaram nossas alegrias?
Quando eu era adolescente, eu tinha certeza sobre tantas coisas acerca dos meus 30 anos... Acho que todos nós criamos uma grande expectativa sobre essa idade, e no fim, os 30 anos já passou, e nada daquilo que imaginei pra mim aconteceu... No começo causou frustração, mas passam-se os anos, e você continua atarefado, e olha pra trás e pensa: Foda-se! Mas aí, assiste um filme desse, e aquilo que você foi um dia retorna à superfície, talvez na tentativa de te lembrar o que você ainda é, lá no fundo... Mas, honestamente, não sei como resgatar!
Sabe quando todo mundo diz que a ficha caiu, lá do espaço, à respeito de algum acontecimento em sua vida? Eu diria que no meu caso, Saturno e seus imensos anéis caíram, e não sobrou nada de mim! Tudo não passou de ilusão da minha mente bonitinha: Família, trabalho, amizades, namorados, felicidade, PAZ... Eu poderia ter deixado pra enxergar a realidade lá pros meus 80 anos, mas eu sou acelerada, ansiosa, e me dispus a enxergar já, imediatamente, e ainda me sinto trouxa por ter demorado tanto pra enxergar tudo!
O engraçado é que quando somos crianças, o que nos faz feliz é uma roupa nova, e nosso brinquedo, algum presente de Natal... Daí crescemos, e não ligamos tanto assim pra presentes, queremos estar com determinada pessoa, aquela paixão, ou em determinada empresa com o cargo e salário desejados... Queremos viajar o mundo, conhecer tudo, todos e o que a vida tem para mostrar... Depois, só de passar em família está bom, e aí, beeeem depois, e essa deveria ser a fase final, desejamos apenas paz... Desejamos voltar a ser crianças e exigir tão pouco, afinal, brinquedos o dinheiro compra...
Se hoje, o " gênio da lâmpada de Natal " me perguntasse o que eu desejo, e só poderia ser um desejo, acho que, por um dia, voltar à minha infância... Eu não posso desejar nada pro futuro pois não sei o que essas realizações causariam em mim, mas, o passado, eu já sei que foi bom, e optaria por ele... Pela garantia de me sentir feliz! Mesmo que tudo voltasse a ser ilusão, mesmo que eu estivesse looonge de enxergar o que enxergo hoje, que eu estivesse naquele barraco, com meus três irmãos, meus pais, tias e primos, e uma noite feliz sem fim...
Nós, crianças, vivemos um constante conto de fadas... Tudo o que inventamos em nossas brincadeiras é encantador e nos traz entusiasmo... Já adultos, tudo o dinheiro compra, e é preciso engolir desaforos e suar a camisa para obtê-lo... E mesmo quando ele pode comprar tudo o que de material queremos, isso não quer dizer que estaremos felizes ao realizar... Na infância, imaginamos ser donos de uma mansão, um casarão com diversos cômodos, e adultos, eu pelo menos, se estivesse em uma mansão agora, mesmo sendo minha, decorada como eu quisesse e pagasse, com um belo jantar disposto pelos meus funcionários, rsrs, isso não me devolveria a magia do Natal que eu sentia na infância, quando tudo o que eu tinha era a minha família! A Michele criança nunca morreu em mim, e o dinheiro não pode me devolver o passado... Ele pode pagar tudo no futuro, mas não pode trazer meu pai e meu irmão, não pode comprar minha ingenuidade, nem minhas ilusões... Eu era tão mais feliz quando era iludida sobre as coisas da vida...
Daí " kabum ", eu estou no ano de 2017, tenho um Blog justamente com a intenção de fazer você acordar pra realidade... Pra quê? Pra ficar cinza igual à mim? Não seria melhor então eu parar com isso e deixar que todo mundo seja feliz em suas ilusões?
E você pode me perguntar como é que eu sei que o que eu vivo hoje não é apenas mais uma ilusão... Quando eu vivia de ilusão eu era mais leve - inclusive de peso, eu sonhava, eu sorria, eu confiava nas pessoas, eu acreditava nas coisas boas...
Hoje eu ainda luto pelo que acredito, mas, não estou certa se continuo acreditando com a convicção que já tive um dia... Sabe o " tudo vai dar certo " ? Rsrs, hoje a gente já sabe que nem tudo dá certo, e não precisamos mais mentir para nós mesmos... E ser adulto é exatamente isso... A ficha do " tudo não passou de um sonho " caiu, a realidade é sem graça sim, quando não dói e nos faz chorar, e se quiser bem, se não quiser foda-se... Quem se importa?


19.03.2017

terça-feira, 21 de março de 2017

MINUTO DE VIAJANTE EM: BÓRA PARAIBAR PELO NOSSO NORDESTE...


LOGO QUE O ÔNIBUS PEGA A BR101, verde à esquerda, verde à direita, e as fazendas e sítios, e os animais pastando, e o mundo parece ser de paz!
O ônibus foi chegando em João Pessoa, e já gostei bem mais da capital comparada com Recife, pois a capital paraibana tem cara de cidade nordestina, enquanto que em Recife você não consegue esquecer SP...



A rodoviária fica do lado - algumas quadras - do centro histórico e cerca de uns 20 minutos da praia mais próxima! Com bem pouco dinheiro, eu tive que escolher e decidi não conhecer as praias, não agora, e cooooooooooomo minha escolha compensou!




Depois de almoçar num self-service sem balança por R$ 9.00, fui conhecer o que João Pessoa tinha pra me mostrar...
Você sai da rodoviária e inevitavelmente enfrenta uma cópia da General Carneiro - SP com Tuiuti - SP, é igual... À medida em que vai subindo, os prédios antigos vão se desenrolando.. O povo da cidade é bem prestativo, gostam de ajudar! E quanto à violência, eu não senti a pressão que senti em Recife, e por mais que eu tenha andado alerta, eu estava bem mais tranquila...




Já gostei de cara da arquitetura de tudo, e a Igreja de Nossa Senhora das Neves é liiiinnnda - a branca das fotos, a primeira! Dali fui penetrando as ruazinhas de paralelepípedo, e apesar de um senhor pedir para que eu tomasse cuidado, ficasse esperta, não senti o medo que senti em Olinda, e fui entrando onde eu queria!
As igrejas - todas - apesar de engenhosamente diferentes, são impressionantes, as histórias nas pinturas, azulejos, as imagens no geral...








" DE CONVENTO A CENTRO CULTURAL
O Convento de Santo Antônio foi construído em 1589, pelos frades franciscanos. Em 1634, ele foi ocupado pelas tropas invasoras holandesas, que o utilizaram como fortim. 
Após a expulsão dos holandeses, os frades retomaram o convento e começaram suas obras de recuperação e ampliação. Na primeira metade do século XVIII, pela capela dourada, a casa de oração, o claustro, a Fonte e a Sacristia. São dessa época, os painéis de azulejos da Nave e o altar-mor. A feição exterior é da segunda metade desse século, quando foram concluídos, a frentaria, a torre sineira e o cruzeiro. No Século XIX e o início do século XX, o convento passa por grandes transformações que culminam com a irrecuperável destruição do altar-mor. Os frades franciscanos permaneceram neste local por três séculos evangelizando o povo paraibano.
De 1885 a 1894, funcionaram no convento a escola de aprendizes marinheiros e o hospital militar.
Criada a Diocese da Paraíba, em 1892, e com a posse de Adaucto Aurélio de Miranda Henriques, em 1894, foram instalados no convento o Seminário e o Colégio Diocesano. O colégio funcionou até o ano de 1906, e o Seminário, até 1964.
Depois dessa data, o complexo funcionou como Museu do Estado da Paraíba, a Escola Estadual do Roger e a Escola de Teatro Piollin.
No governo de Tarcísio de Miranda Burity, em 1979, o convento fechou as portas para dar início aos trabalhos de restauração.
Patrimônio da Arquidiocese da Paraíba, o Centro Cultural São Francisco é uma instituição cultural. Criado em 06 de março de 1990, mantido por termo de convênio que envolve outras cinco instituições: o Estado da Paraíba, Prefeitura Municipal de João Pessoa, Universidade Federal da Paraíba, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional  - IPHAN e a Ordem Franciscana Secular.
Espaço de pesquisa, visitas e oração e lugar dos artistas, pesquisadores, músicos, admiradores da arte, e toda a sociedade, chamada a preservar a memória dos nossos antepassados, que legaram um bem inestimável para a cultura e a história da Paraíba. "

Mons. Ednaldo Araújo dos Santos -  Diretor Geral do CCSF





Vi uma torre que me chamou positivamente a atenção e que fazia parte do Centro Cultural de São Francisco! O prédio do convento é o mais fascinante que meus olhos já babaram, e o lugar era nada menos que um mosteiro, um convento do século XVI, fechou e abriu por várias vezes, e hoje expõe a própria história bem como de João Pessoa e a extensão de toda a Paraíba! Um guia, o João, nos esclareceu muitas dúvidas e os R$ 6,00 que eu ia pagar na condução de ida e volta pra praia, fiz algo que me alimentou muito! Quem pisar em João Pessoa TEM POR OBRIGAÇÃO  conhecer o Centro Cultural de São Francisco! Divinamente belo, rico de história, e que acaba enriquecendo a nossa! 




TO BE CONTINUED...

" UMA JORNADA INESPERADA " NA SUA VIDA, O QUE ACHA?


ONTEM EU ESTAVA ASSISTINDO " O HOBBIT - UMA JORNADA INESPERADA ", e vendo o Bilbo todo cuzão pra enfrentar o desconhecido, eu me vi no lugar dele, assim como todo mundo já esteve ou ainda está no lugar dele...
E o lugar dele nada mais é do que a nossa zona de conforto... Lugar aconchegante, que conhecemos muito bem, onde não há novidades, e onde achamos que não precisamos sentir medo, já que não há surpresas, e tudo o que vai acontecer é muito " provável "...
No caso do Bilbo, ele não quer deixar o Condado, nem seu povo simples de vidas óbvias, nem suas poltronas, seus livros, e seus crochês, como diz Gandalf, e no nosso caso, o que faz parte da nossa zona de conforto? Melhor que isso: Por que não queremos abrir mão dessa situação?
Esses dias no serviço, a menina me fez uma pergunta, justificando que eu era boa de conselho... Me perguntou se eu sairia de casa, caso estivesse sendo humilhada pelos próprios familiares... Eu respondi que eu não faria, eu fiz!
E aí, como eu disse pra ela, não foi a decisão mais fácil da minha vida, talvez até a mais difícil, MAS A MELHOR!!!
Eu lembro que eu pensava como é que eu ia viver num lugar desconhecido, e ter de pagar aluguel todo mês, talvez pelo resto da minha vida, e comprar tudo novo porque eu não tinha nada pra casa, e como ia ser comer comida e não sei cozinhar, será que eu ia aprender, como seriam meus vizinhos, novo bairro, novos preços no mercado, novo caminho pra trabalhar, e voltar a pisar na casa da minha mãe depois de sair dela bem machucada... Tudo isso me vinha na cabeça, mas antes de tomar a atitude na raça, eu me alimentei, me abasteci de bons livros sobre " faça, vá, seja, VOCÊ PODE ", e agora a vida me dava a oportunidade de colocar essa teoria em prática!
Em nenhum momento me achei incapaz, ou que de repente não desse certo e eu voltasse pra casa da minha mãe... Eu sabia que eu dependia só de mim, e já que eu podia confiar em mim, EU FUI!!!
Como eu já contei até em detalhes como foi essa mudança na minha vida e a experiência de morar sozinha, aqui eu apenas resumo que a jornada que escolhi viver me mostrou uma Michele cheia de vida, coragem, firmeza, dignidade, audácia, cheia de medo, mas cheia de vontade de arriscar! Eu poderia morar na casa da minha mãe até hoje ou pra sempre, mas jamais teria vivenciado taaaaaaaaantas milhões de coisas que me aconteceram, e que só me tornaram uma pessoa melhor! Quando a gente depende só da gente, PRA TUDO, nós nos obrigamos a nos policiar, a entrar em determinada disciplina, e ao mesmo tempo SOMOS LIVRES!!! Nós respondemos por nós, portanto, nada de " costas quentes ", só temos a gente mesmo, e aí descobrimos que estamos muito acima da coisinha que imaginávamos sobre nós mesmos... É um desafio em nosso caráter, em nossa moral ética, em nossas responsabilidades, e não só o fato de morar sozinha, mas de se ver sozinha no mundo, tipo, ninguém vai te consolar, ninguém vai te ajudar, ninguém vai enxugar suas lágrimas, se vira! E nesse " se vira " você se revira até o avesso, e conquista você para si mesmo! Você descobre que é um labirinto, um Universo repleto de possibilidades... Você descobre que tem fé, que pode recorrer à ela, E QUE FUNCIONA!!! Você descobre que só há você no mundo pra se defender e por isso começa a perder o medo de muita coisa, de muita gente...
Morar com os pais é ser poupado do " sofrimento " na vida... E esse " sofrimento " de fato existe, mas não quer dizer que é ruim! Na hora do acontecido dói, mas ele lapida nosso espírito, e vai nos transformando cada vez mais em melhores seres humanos!
Você descobre que não é só um soldado numa batalha, mas um exército inteiro! Você é o escudo e você é a espada, e todo caminho que trilhar te trará conhecimento, novas vontades, novos caminhos!
Aquele bebezão protegido no seu mundinho redondo passa a viver o mundo triângulo e retângulo, às vezes de uma vez só, E TIRA DE LETRA!!!
Você, assim como o Bilbo no filme, tem medo de arriscar... Mas, como disse Gandalf, se arriscar e voltar inteiro, VOCÊ SERÁ OUTRA PESSOA!!!
Você deixa de arriscar muitas coisas bobas, como por exemplo tomar um belo banho de chuva... " Ahhh, mas a gripe " - E SE NÃO GRIPAR??? Você cisma com o X-Salada do tio da rua, " pode dar dor de barriga " - E SE NÃO DER NADA, E AINDA FOR O MELHOR DE SUA VIDA??? Você não passa a mão na cabeça de um cachorro de rua porque ele pode estar com sarna... Não toma banho de mar porque todo mundo caga, mija e goza naquela água... Não anda de chinelo na rua, não senta na calçada pra jogar conversa fora com a vizinha, não isso, não aquilo...
O que há de surpreendente na sua vida, na sua história, na sua experiência?
O que você fez que faria seus netos ficar de queixo caído, seja coisa boa ou ruim?
Que exemplo pode dar à quem quer que seja sobre ARRISCAR, CORAGEM, DECISÃO??? E se esse alguém precisar justamente disso?
Eu entendo seu medo, eu também já o senti, só que no meu caso, eu me vi num beco sem saída, e enquanto você encontrar uma saída, vai preferir se manter na zona de conforto do que arriscar, se descobrir um novo ser humano, ter verdadeira admiração por você mesma!
Goste ou não, a vida vai te colocar numa situação de risco, mais cedo ou mais tarde, e você não vai poder fugir! Sua irresponsabilidade com você só existe na sua cabeça, pois você selou um compromisso com o Universo, e TERÁ DE CUMPRIR! Só não espere que ele bata na sua porta com a maquininha do cartão pra te cobrar, porque quando ele cobra, o preço pode custar a sua vida!
Se descortine! Tire de você o véu que te cega e que não te faz enxergar o grande ser humano que existe em você! Você foi feito pela grandiosidade cósmica, você não nasceu pra ficar pequenininho!


19.03.2017

quinta-feira, 16 de março de 2017

MINUTO DE VIAJANTE EM: PRAIA DA BOA VIAGEM, RECIFE - PE... TUTUBARÃÃÃO!


Fui dormir 21hs e morri, não ouvi mais nada de tão cansada que estava, e às 5hs da matina estava acordada e super disposta para praaaaaaaaaaiaaaaaaaaa! Acontece que no meu celular " já " era 07hs e em Recife ainda era 06hs da manhã... Fui comer alguma coisa, já estava pronta, e partiu, ficar com meu anjo azul!






Praia da Boa Viagem, que delícia de lugar - às 06:40hs pessoas caminhavam ou corriam na areia, e senti uma tranquilidade tão boa... Um mar que pelo horário achei já tão agitado... E lindo!
Caminhei bastante, babei bastante, e no mar ninguém nadava, é uma área proibida por conta dos tubarões, e eu doida pra ver um, rsrs...












Infelizmente o tempo passa, e eu tinha que partir para João Pessoa e deixar aquela praia, aquele hostel, aquelas pessoas cheias de coisas pra contar, mas eu saí com o coração satisfeito! Não consegui conhecer Olinda, mas aproveitei meu pouco tempo por lá! Fui pra rodoviária e consegui chegar adiantada! O ônibus da Autoviação Progresso MEGA confortável, o melhor que peguei na vida! E era uma pena que 2hs e meia depois eu tinha que descer dele pois estava em João Pessoa, na nossa Paraíba...

11.01.2017 - 19:58 - sala vip da 1001 - Rodoviária Novo Rio